Acontece:

Doutrina do Arrependimento






Untitled document

Introdução

A maneira característica do Antigo Testamento para expressar o arrependimento do ser humano para com Deus e dizer que houve uma volta, um retorno: o ser humano saiu do pecado e voltou-se para Deus. No Novo Testamento, o arrependimento é enriquecido em sua significação: ele é a mudança de mente; consiste na radical transformação de PENSAMENTO, ATITUDE, DIREÇÃO.

Textos bíblicos:

• Lucas 3:1-4: João Batista chama o povo judeu ao arrependimento, como indispensável preparação para sua participação no Reino de Deus;
• Mateus 4:17 e Marcos 1:15: Jesus inicia sua missão com o desafio do arrependimento e a promessa das Boas Novas, semelhante à mensagem de João Batista;
• Isaías 1:10-17: O povo é desafiado a voltar-se para Deus, fazendo o BEM, caso contrário ele não aceitaria o culto, o louvor ou a adoração;
• Amós 5:11-14: O arrependimento toma forma de imperioso chamado à obediência da aliança do povo com Deus. Se não se arrependesse, não teria vida;
• Lucas 18:9-14: Só pode haver arrependimento se o ser humano reconhece que é pecador. So assim ele pode ser justificado;
• Romanos 10:11-15: É preciso que alguém fale de Jesus, o que ele exige e a esperança da Salvação que nele há, , para que se oportunize o arrependimento e a seguir, creia nele (Jesus).

O que é arrependimento: Não podemos confundir arrependimento com remorso ou desespero. As emoções de tristeza ou remorso e as lágrimas que acompanham tais sentimento, não são o arrependimento e nem o tornam verdadeiro.

O arrependimento possui dois momentos, segundo os ensinamentos bíblicos: a auto-conhecimento e a produção das obras de arrependimento.

O AUTO-CONHECIMENTO é a correta compreensão do estado religioso de cada um de nós. Deus emprega muitos meios para nos fazer enxergar como realmente somos. O meio mais cumum é a Bíblia. Ela é como um espelho onde nos vemos tal qual somos.

O povo judeu por se julgar escolhido e ter assegurado provilégios que os gentios não possuiam, não conseguia enxergar sua condição de "raça de víboras", tal era o seu distanciamento da vontade de Deus. Foi necessário João Batista e o próprio Jesus mostrarem como o povo seguia a Lei mas não tinha compaixão; como observar as festas, os cultos e os sacrifício, mas não praticava a Justiça, o Amor e a Santificação.

Como nos arrepender de algo se nos achamos ótimos?

As OBRAS DIGNAS DO ARREPENDIMENTO eram exigidas do povo após o reconhecimento dos pecados: repartir as túnicas e os alimentos, não cobrar impostos injustos, não explorar o próximo, não roubar ou maltratar alguém. Por outro lado, praticar o amor e o serviço de Deus e ao próximo, andando a segunda milha, amando até aos inimigos e mostrando verdadeira transformação em sua CONDUTA.

Conclusão:

O arrependimento consiste no abandono do pecado e no voltar-se para Deus e seu serviço (ministério). A mente que é o âmago do ser humano, é radicalmente transformada pelo arrependimento. O arrependimento inclui a tristeza, e geralmente lágrimas, pelos pecados cometidos e dá oportunidade para que a Graça de Deus alcance o ser humano e o leve à justificação.

O arrependimento é o primeiro movimento para a salvação (Mt 4:17). Deus está nos convidando ao arrependimento e torna possível uma resposta positiva através de sua Graça Preveniente. Um cadáver nada pode responder, mas o pecador e pecadora até o último instante tem a oportunidade de fazer o primeiro movimento.

 




INFORMATIVO EPISCOPAL Out/2016

Discipulado e Renúncia Cristã
Acompanhe aqui as palavras do Bispo Luiz Vergílio

Vídeos

Conheça a iniciativa da AIM para o mês da Mulher
Cadastro Nacional de
Igrejas e Pastores

Pesquise também:

Boletim Eletrônico
Informe seu nome e e-mail para receber nosso boletim eletrônico.
Nome:
E-mail:
2ª Região Eclesiástica - Rua São Vicente, 180 - Rio Branco - Porto Alegre - RS - Cep 90630-180 - Fone: 51 3332.0226
Desenvolvido por: